“Até efetivos poderão ser demitidos”, afirma prefeito Alencar Marim

O prefeito de Barra de São Francisco, Alencar Marim (PT), promoveu uma audiência pública na última sexta-feira, 28 de julho de 2017, para explanar sobre a situação financeira e fiscal do município.

No início da reunião, o chefe do executivo apresentou dados comparativos dos últimos anos relacionados à arrecadação e pessoal. A explanação serviu de “start” para o anúncio das medidas de emergência que viriam a seguir:

Após chegar a 64% do orçamento com despesas com pessoal no último pagamento, ultrapassando assim mais uma vez o máximo de 54% permitido pelo Tribunal de Contas, Alencar anunciou que uma comissão foi criada para avaliar quais setores poderão sofrer cortes de gastos e de pessoal.

O prefeito disse que 140 funcionários serão demitidos.

Além das demissões, para acertar a situação e a administração não ser “enquadrada” pelo Tribunal de Contas, haverá também a substituição de pagamento de horas extras por banco de horas, reavaliação do direito à insalubridade, corte de Secretarias, e o possível congelamento de salários de servidores.

Alencar Marim chegou a dizer que até servidores que passaram em Concurso Público podem ser demitidos “É possível que até efetivos sejam demitidos”, disse o prefeito.

Opinião do poder legislativo municipal

O presidente da Câmara Municipal de Barra de São Francisco, Jonciclé Honório (PMDB), que é da base aliada, deu sua opinião para defender o prefeito. “São atitudes duras, mas que são necessárias para que Barra de São Francisco não vire o caos que está o Rio de Janeiro”, defendeu o presidente.

 

.

..

.

.

 

.

.

Já o vereador Admilson Brum (PRP), sugeriu ao prefeito “cortar na própria carne”, baixando pelo menos 10% do próprio salário, baixar salário dos secretários, subsecretários, cargos de confianças e comissionados.

“Corta o salário de quem ganha três, quatro e até cinco mil. Se for preciso trabalho cinco meses sem receber, mas por favor, não mande essas 140 pessoas embora”, disse o vereador.

Admilson Brum desafiou o prefeito Alencar Marim, veja aqui

.

.

.

Vai cortar Insalubridade de todos os funcionários?

O Secretário de Administração Paulinho da Ótica, disse que o que vai acontecer em relação à insalubridade é uma avaliação através de um técnico de Segurança do Trabalho, que determinará qual setor e servidores terão direito, bem como a porcentagem correta de acordo com os parâmetros.

Banco de horas

Sobre a substituição das horas extras por banco de horas, pode ser que alguns setores não se adequem a este método. Os Agentes de Vigilância Ambiental, Fiscais da Vigilância Sanitária, Motoristas da Saúde, entre outros, são setores que, se pegarem as folgas do banco de horas, podem prejudicar consideravelmente a eficiência do serviço prestado à população.

É possível que com o início dos trabalhos da comissão nomeada por Alencar, muita coisa anunciada na reunião sofra algumas alterações para se encaixar a realidade do município, mas as ações não devem demorar a acontecer.

Mudanças

Entre as mudanças previstas, ainda não confirmadas pelo prefeito Alencar Marim, há possibilidade de troca de secretários municipais.

De acordo com informações, alguns secretários serão substituídos apara atender interesses políticos e outros para dar mais celeridade aos trabalhos.