Capixaba que vendia abacaxi é morto com 8 tiros no rosto em Minas Gerais

Oziel Marvila (esq.) e Marcelo do Amaral (dir.) foram presos em Martins Soares, em Minas Gerais

Um vendedor de abacaxi capixaba, identificado como Raphael da Costa Rezende, de 21 anos, foi brutalmente assassinado na noite desta quinta-feira (14/10/2018), em uma lanchonete às margens da BR 262, em Manhuaçu, em Minas Gerais.

Os suspeitos do crime, também naturais do Espírito Santo, Marcelo do Amaral do Nascimento, de 36 anos, e Oziel Marvila Casimiro, de 47, foram presos no município de Martins Soares, que fica a 14 km de onde ocorreu o crime.

Imagens de videomonitoramento flagraram a ação. Os suspeitos chegam em um carro. Segundo a polícia, Oziel estava conduzindo o veículo. Ele para em frente ao estabelecimento e Marcelo desembarca usando terno e gravata e uma camisa para cobrir o rosto. O suspeito entra no estabelecimento e, sem dizer nada, atira diversas vezes contra o rosto de Raphael.

Após a execução, Marcelo volta para o carro e motorista sai em alta velocidade. Equipes da Polícia Militar de Minas Gerais (PMMG) foram acionadas e iniciaram o rastreamento. Em Martins Soares, cerca de meia hora depois, a polícia conseguiu cercar e prender os dois envolvidos.

De acordo com informações que constam no Boletim de Ocorrência da polícia, Raphael era produtor de abacaxi no município de Marataízes. Segundo uma testemunha, que conhecia Raphael há apenas uma semana, a vítima estava há cerca de oito dias na cidade vendendo as frutas.

Oziel informou à polícia que no último dia 2 deste mês, ele se envolveu em uma confusão no município de Itapemirim, no sul do Estado, que teria resultado no assassinato de um amigo de Raphael. Segundo o suspeito, a partir de então, Raphael e outros amigos estariam ameaçando a família de Oziel, dizendo que pagariam com a vida.

Ainda em depoimento à polícia, Oziel disse que foi até o município de Vitória e comprou a arma utilizada no crime pelo valor de R$ 6,5 mil, além de 14 munições no valor de R$ 12. Segundo o suspeito dos disparos Marcelo, ele cometeu o crime para ajudar o amigo Oziel e não recebeu nenhuma quantia em dinheiro pela ação.

Oziel contou que, por volta das 16h, Marcelo esteve com Raphael comprando abacaxis. A partir de então, o suspeito da execução começou a monitorar a vítima e esperar o momento certo para cometer o crime, que aconteceu por volta das 21h.

A PMMG informou que, em contato com a Polícia Militar do Espírito Santo (PMES), descobriu que Marcelo possui várias passagens por roubo e outros crimes violentos, e que Raphael também tinha passagens por homicídio e tráfico de drogas.

Com colaboração de Fernando Fully, da TV Vitória.