Cesan quer ganhar “de bandeja” mais 30 anos de concessão em Barra de São Francisco

A Cesan está mansinha, cortejando prefeito e vereadores de Barra de São Francisco, pois está prestes a ganhar mais 20 anos de concessão.

Na verdade ela quer mais 30 anos, mas os vereadores estão dispostos a dar de bandeja “apenas” 20.

O projeto deve ser colocado em votação na próxima semana, e, ao que tudo indica, será aprovado, já que são poucos os vereadores dispostos a questionar ou discutir o projeto.

Parece piada, mas, segundo vereadores, a empresa queria só “o filé” do município, deixando distritos mais distantes e com mais necessidades. Mas o apoio já vem desde o contrato com a prefeitura. Um trecho diz que “localidades definidas como de pequeno porte e sem viabilidade econômica, deverão ter soluções próprias com investimentos Municipais“. Ou seja, se tiver um bom lucro, a Cesan entra, caso contrário, a prefeitura que se vire.

Na localidade da Farinheira, por exemplo, a água tratada ainda não chegou. Cachoeirinha do Itaúnas e outras localidades distantes eles não fazem muita questão. Ficar com centro da cidade e Vila Paulista para eles seria “suficiente”, dizem vereadores que estão participando das conversas.

O prefeito Alencar Marim tem feito o papel de lobista da empresa. Defende que o projeto seja votado rapidamente e seja aprovado. E já tem alguns vereadores “no cabresto” pra isso.

Na ânsia e pressa para aprovação do projeto, quase que a prefeitura esquece de fazer um Audiência Pública para ouvir moradores. Mas de última hora, no apagar das luzes, fizeram uma Audiência Pública, apenas para “cumprir tabela”. A maioria dos presentes eram pessoas ligadas à administração.

Muitos problemas não estão sendo levados em consideração, como falta de água em algumas localidades, falta de esgoto em diversas ruas, inclusive de sede, o famoso “pinicão” no bairro Irmãos Fernandes e alguns buracos mal tapados que a empresa deixa pelas ruas cidade. Ah, sim, está proibido lembrar da falta d’água e racionamento.

Poucos ou talvez quase ninguém se lembra, mas quando ganhou a atual concessão, a Cesan prometeu “mundos e fundos” para o prefeito da época… mas foi só de boca. O resultado é a atual situação.

Mas como a companhia é grande, domina a maioria dos municípios capixabas, conta com apoio de prefeito e outros políticos, dificilmente algum vereador será capaz de colocar a Cesan “contra a parede” para que ela cumpra o que prometeu. Na verdade, bastam algumas novas promessas para que ela tenha mais 20 anos de “boa vida” na cidade.

Se o prefeito quer e a maioria dos vereadores está como “cego em tiroteio”, sem saber nem mesmo que está nesse contrato, o projeto deve ser aprovado com facilidade. Espera-se que a Cesan cumpra – pelo menos o que estiver no papel.

Números

Em 2001, a Cesan tinha 400 mil domicílios atendidos com água e apenas 50 mil com esgoto.

Em 2014, a Companhia atendia a apenas 24% da população em sua área de atuação com serviços de esgotamento sanitário.

Resultados

Em 2000 a Cesan faturou R$161.088.000,00.

No ano seguinte aumentou o faturamento para  R$ 173.042.000.00.

Já em 2002 passa para R$199.667.000,00 e em 2003 alcança fantásticos R$ 239.326 .000,00.

A arrecadação sobe 2004 para R$276.307.000,00.

No ano passado, a Cesan apresentou números mais estupendos do que aqueles no início dos anos 2000.

A Cesan encerrou o ano de 2018 grifando um novo marco para a sua história, o maior resultado econômico alcançado ao longo dos seus 51 anos de atividades.

O lucro líquido do exercício de 2018 foi de R$ 191,8 milhões, 51,4% superior ao lucro de 2017. Isso se comparado aos anos de 2000 – 2001 e próximo a receita de 2003, só o lucro do ano passado supera as arrecadações brutas da empresa nos primeiros anos da década passada.

A receita líquida atingiu R$ 813,1 milhões, um crescimento de 7,4% em relação a 2017.

Mesmo aferindo altos lucros, os investimentos nem sempre são acompanhados pelo mesmo ritmo com que arrecada.

A Cesan

A Companhia Espírito Santense de Saneamento – CESAN, com sede na cidade de Vitória – ES, foi criada por meio da Lei nº 2.282/1967, alterada pelas Leis nos 2.295/1967, 9.772/2011 e 10.478/2015 e regulamentada pelo Decreto nº 4.809/1993.

A CESAN é uma empresa de economia mista, enquadrada no Regime Jurídico de Direito Privado Brasileiro como uma sociedade anônima de capital fechado, sendo seu acionista controlador, o Governo do Estado do Espírito Santo. Tem como missão prestar serviços de saneamento com qualidade, contribuindo para o desenvolvimento econômico, social e ambiental.

A Companhia atua na captação, tratamento e distribuição de água, e na coleta e tratamento de esgoto no Estado do Espírito Santo, mediante delegação do Governo do Estado, contratos de concessão e contrato de programa com os municípios nos quais atua. Sua atividade compreende também a realização de estudos, projetos e execução de obras relativas a novas instalações e ampliação de redes, podendo atuar no setor de serviços de limpeza urbana e manejo de resíduos sólidos, além de participar do bloco de controle ou do capital social de outras sociedades e constituir subsidiárias, que poderão se associar a outras empresas do setor de saneamento no Brasil ou exterior.

Em 31 de dezembro de 2018, a Companhia atuava em 52 municípios de um total de 78 municípios do Estado do Espírito Santo, em operações de abastecimento de água e esgotamento sanitário, sendo 887.757 economias em abastecimento de água (879.888 em 31.12.2017) e 514.709 economias em esgotamento sanitário (489.571 em 31.12.2017). As 10 principais concessões da Companhia inclui o município francisquense.

Possui os seguintes dados:

Em Barra de São Francisco

Concessões de Água 10.637  em (2017)  e 10.697  em (2018). Já nas concessões de Esgoto 2.919 em (2017) e 3.498 em (2018). A concessão para a empresa explorar os serviços em Barra de São Francisco encerra-se em 03/07/2022.

Fonte: SiteBarra