Licitação de R$ 126 mil para Coffee Break causa revolta em Barra de São Francisco

O vereador Wilson Mulinha (PDT) se mostrou indignado com o valor licitado pela prefeitura de Barra de São Francisco para Coffee Break no eventos e reuniões do Executivo municipal.

Segundo Mulinha, Barra de São Francisco passar por um momento difícil, com vários problemas administrativos, e questiona se é realmente justo, diante de tudo isso, o executivo realizar uma licitação nesse valor.

Quando se vê o município passando por diversos problemas financeiros, com maquinários, caminhões, automóveis parados por falta de manutenção, estradas em total abandono sem patrolamento, sede do município cheio de crateras precisando de serem tampados com asfalto, falta de materiais para nas secretarias como: papéis, receituários médicos, papel higiênico onde funcionários estão tendo até de levar de casa para o trabalho, iluminação pública, materiais de IPI para uso dos garis, professores tendo de adquirir materiais para uso na sala de aula, quadras em total abandono município sem recursos para aumento salarial do funcionalismo, pagamento em atraso com os aposentados e pensionistas e outras mazelas, será que é justo diante de tudo isso o executivo realizar uma licitação no valor de R$ 126.361,00 (cento vinte e seis mil, trezentos sessenta e um reais), para contratação de uma empresa para fornecimento de COFFEE BREAK nos eventos e reuniões do Executivo?”, disse Mulinha ao SiteBarra.

“Com esse recurso o município poderia contratar aproximadamente 1.000 (mil) horas de horas máquinas (Patrol) para o patrolamento das estradas ou 1.000 (mil) horas de horas máquinas (Ponkan) para a construção de barragens e caixas secas para os pequenos produtores do município, ou adquirir uns 02 caminhões de asfalto para tampar os buracos existentes na sede do município, ou adquirir materiais para as secretarias, ou realizar o conserto e manutenção dos maquinários, caminhões e veículos que se encontram parados, ou realizar compra de materiais para os professores usarem nas salas de aula, ou realizar reforma das quadras que se encontram em péssimas condições de uso. Já não chega a contratação de uma empresa no valor de R$ 551.000,00 (quinhentos cinquenta e um mil reais) para capacitação dos professores e que em nada está capacitando e se formos olhar a educação municipal tem pessoas iguais ou melhor para capacitar os nossos professores.
Será que é essa mudança que a nossa população espera desta administração?”, questionou o vereador.

A prefeitura municipal, mesmo com diversas críticas a essa licitação, preferiu, até o momento, não comentar o assunto.