Mais da metade das cidades do Espírito Santo estão sem segunda dose da CoronaVac; veja a lista

 

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) do Espírito Santo divulgou na noite desta quinta-feira (29) que 42 cidades não têm mais doses da vacina CoronaVac para aplicação de segunda dose contra a Covid-19.

O número equivale a quase 54% dos 78 municípios capixabas.

De acordo com a secretaria, são as seguintes cidades:

  • 1.Afonso Cláudio
  • 2.Águia Branca
  • 3.Alegre
  • 4.Alfredo Chaves
  • 5.Alto Rio Novo
  • 6.Anchieta
  • 7.Apiacá
  • 8.Aracruz
  • 9.Barra de São Francisco
  • 10.Bom Jesus do Norte
  • 11.Brejetuba
  • 12.Conceição da Barra
  • 13.Conceição do Castelo
  • 14.Dores do Rio Preto
  • 15.Ecoporanga
  • 16.Fundão
  • 17.Guarapari
  • 18.Ibatiba
  • 19.Iconha
  • 20.Itarana
  • 21.Irupi
  • 22.Iúna
  • 23.Jerônimo Monteiro
  • 24.João Neiva
  • 25.Laranja da Terra
  • 26.Linhares
  • 27.Mantenópolis
  • 28.Marataízes
  • 29.Marechal Floriano
  • 30.Marilândia
  • 31.Montanha
  • 32.Pancas
  • 33.Ponto Belo
  • 34.Presidente Kennedy
  • 35.Rio Bananal
  • 36.Santa Maria de Jetibá
  • 37.São José do Calçado
  • 38.São Mateus
  • 39.Venda Nova do Imigrante
  • 40.Viana
  • 41.Vila Pavão
  • 42.Vila Valério

Com exceção de Fundão, Guarapari e Viana, todas as cidades ficam fora da Região Metropolitana. A capital Vitória segue vacinando.

O governador Renato Casgrande (PSB) divulgou em uma rede social nesta quarta (28) que o estado vai receber 106.200 doses de vacina ainda nesta semana. Segundo o governador, serão 104 mil doses da vacina de Oxford e apenas 2.200 da CoronaVac.

Em coletiva realizada nesta segunda (26), o subsecretário Luiz Carlos Reblin falou sobre a falta dessa segunda dose da vacina produzida no Instituto Butantan.

“Todos os estados brasileiros têm dificuldades da segunda dose da CoronaVac. O secretário tem feito um empenho grande junto ao Ministério da Saúde solicitando que doses complementares, que por ventura possam estar disponíveis, sejam remetidas aqui para o Espírito Santo para que a gente dê continuidade na vacinação. Mas se não recebermos essas doses, a população pode ficar tranquila”, disse.

O Ministério da Saúde admitiu dificuldade no fornecimento de vacinas para segunda dose da CoronaVac.

“O que tem nos causado certa preocupação a CoronaVac, a segunda dose. Tem sido um pedido de governadores, de prefeitos, porque, se os senhores lembram, cerca de um mês atrás se liberou as segundas doses para que se aplicassem. E agora, em face de retardo de insumo vindo da China para o Butantan, há uma dificuldade com essa 2ª dose”, declarou o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, durante sessão no Senado na segunda.

Há cerca de um mês, em 21 de março, o Ministério da Saúde mudou a orientação e autorizou que todas as vacinas armazenadas pelos estados e municípios para garantir a segunda dose fossem utilizadas imediatamente como primeira dose.