Quatro pessoas da mesma família morrem em acidente quando seguiam para Mantenópolis

Por Glacieri Carrareto

As quatro pessoas que morreram em um grave acidente na BR 101, na Serra, eram da mesma família. Acidente envolvendo um carro de passeio e um caminhão aconteceu na tarde desta quinta-feira (27), no quilômetro 246 da BR-101, próximo à Ponte do Bagaço

A condutora Yandara Maria Calatroni Martinelli, o marido Gilberto Wanderkonen, o filho do casal Yuri Wanderkoken, de 10 anos, e a mãe da condutora, Tânia Mota Calatroni Martinelli, de 68 anos, estavam em um Siena de cor branca, que colidiu contra o caminhão. A família seguia para a cidade de Mantenópolis.

Leia também:

Cinco pessoas da família Moronari morrem em acidente em Barra de São Francisco

Acidente com caminhão da Aurora mata cinco pessoas em rodovia que liga Mantena a São João

Segundo a Polícia Rodoviária Federal, o Siena derrapou, rodou na pista, invadiu a contramão e colidiu na lateral de um caminhão. Os quatro pneus do veículo estavam carecas. Chovia na região no momento do acidente.

A perícia da Polícia Civil, Corpo de Bombeiros e a Eco101, que administra a via, estão no local. O trânsito segue lento na região, no sentido Norte.

Quatro pessoas da mesma família morrera em acidente na BR-101, na Serra (Foto: Guilherme Ferrari/ A Gazeta)

Quatro pessoas da mesma família morrera em acidente na BR-101, na Serra (Foto: Guilherme Ferrari/ A Gazeta)

Veículo envolvido em acidente na BR-101 estava com pneus carecas

O veículo de passeio envolvido no acidente com uma carreta na BR 101, na altura de Chapada Grande, na Serra, na tarde desta quinta-feira (27), estava na contramão no momento da colisão e possuía os quatro pneus carecas, segundo a Polícia Rodoviária Federal. O acidente matou quatro pessoas, todas elas ocupantes do carro de passeio, um Fiat-Siena.

“Os quatro pneus estão gastos, muito gastos. Os principais mais gastos são do lado direito, justamente os que são necessários para poder ter aderência na curva para o lado esquerdo. Chovendo e pneus gastos pode acontecer sim uma fatalidade como essa”, fala Rafael Ortega, inspetor da Polícia Rodoviária Federal do Espírito Santo.

De acordo com o motorista da carreta, que preferiu não se identificar, chovia bastante no momento do acidente e isso atrapalhou a visibilidade de todos os condutores. Ele disse também que a pista estava escorregadia e acredita que isso pode ter sido um dos fatores que motivaram o acidente.

“Estava muito molhado e chovendo. Não teve como evitar o acidente. Foi muito rápido e muito perto. Unica coisa que pensei foi: ‘se esse carro vai entrar na minha frente ele vai contornar aqui’, mas na verdade não era, ele estava rodando na pista“, disse o motorista.

Os corpos chegaram ao Departamento Médico Legal (DML) no início da noite, mas ainda não foram reconhecidos. As vítimas são de Mantenópolis e os familiares estão à caminho do DML para fazer o reconhecimento.